19 de abril de 2015

Pegadas de humanas de 290 milhões de anos são encontradas


  Pegadas de humanas de 290 milhões de anos são encontradas no novo México, É possível que nós tenhamos conhecido uma história totalmente  errada referente ao ser humano?
  
  Esta é uma pegada fossilizada e incorporada em uma pedra que os pesquisadores acreditam ser ter cerca de 290 milhões de anos.A anatomia da pegada se assemelha a um pé humano normal.Essa descoberta foi feita pelo paleontólogo Jerry MacDonald,em 1987,no Novo México.
  Mas esse não foi o único caso em 1938 o geologista Wilbor G. Burroughs  descobriu pegadas com 250 milhões de anos elas foram encontradas ao norte de Mount Vernon, nos Estados Unidos,mais ou menos,a mesma época onde os dinossauros reinavam sobre a terra.
    Pegadas semelhantes foram descobertas em Jackson County, e também nos Estados da Pensilvânia e Missouri, todos no Estados Unidos. Arqueologistas e geologistas estão divididos quanto à  origem destas pegadas. Alguns defendem que sejam anfíbios gigantes, ainda não descobertos e catalogados, enquanto outros preferem aguardar novos dados antes de oficializar qualquer alteração na História biológica do Planeta Terra. 
  Em dois pontos estes cientistas concordam:
1) as pegadas são reais. Não são fraudes ou marcas de erosão.
2) a hipótese de ter sido impressa por um anfíbio gigante não é tão estranha quanto parece.

Outros relatos:

 Mount Victória, Estados Unidos
Em Mount Victória, também nos Estados Unidos, foram descobertas pegadas humanas gigantes medindo 59 x 18 cm, indicando um peso de 250 kg.
 Carlson, Estados Unidos
Em 1882, prisioneiros da cadeia da cidade de Carson descobriram acidentalmente pegadas fossilizadas, com aproximadamente 55,88 centímetros cada uma. Logo surgiram outras descobertas no mesmo local. Todas as marcas identificadas eram de pés calçados, e datavam de 5 milhões de anos.
 Gravelbourg , Saskatchewan, Canadá
Em 26 de maio de 1910, foram descobertos alguns fósseis em um granito na região de Gravelbourg, Saskatchwan, no Canadá. Investigações de especialistas indicaram que o fóssil, um conjunto de pegadas humanas, teria vários milhões de anos de idade.

 República do Turcomenistão
Na primavera de 1983, uma expedição do Instituto de Geologia do Turcomenistão descobriu mais de 1500 pegadas de dinossauros na região sudeste da república. O chefe da expedição, Dr. Kurban Amanniyazov, declarou ao jornal Moscow News que "nós temos descoberto pegadas semelhantes à  pegadas humanas, mas até o momento falhamos em determinar, com metodologia cientifica, à  quem elas pertencem. É claro, se nós pudermos provar que elas pertencem à  um hominídio, isto causaria uma revolução na ciência humana. A humanidade vai ficar 150 milhões de anos mais velha. ( Moscow News, Nr. 24, 1983, p. 10 ; Corliss 1985, p. 28 ; Cremo et al. 1993, p. 458 ).

  Deserto de Gobi, China
Em 1959, o cientista chinês, Dr. Tschu Myn Tschen e sua equipe (Tschau Ming Tschen/Chow Mingchen) descobriram uma pegada com idade estimada em 15 milhões de anos. Trata-se de uma marca produzida por um calçado com sola. 

-Navalsaz, Soria, Espanha.
Na localidade de Navalsaz, em Soria, na Espanha, mais de 500 pegadas de Tiranossaurus rex foram descobertas. Junto destas pegadas haviam pegadas humanas produzidas na mesma época em que o resto do conjunto de pegadas foram produzidas, a aproximadamente 70 milhões de anos atrás. 









←  Anterior Proxima  → Página inicial